Coala Notícias

Indústria 4.0: a quarta revolução industrial

O conceito de indústria 4.0 é bastante conhecido no exterior, porém aqui no Brasil ela ainda é uma ideia nova que está acabando de começar a ser implantada.

Desse modo, confira aqui sobre o que é esse modelo de indústria e porque é chamada de quarta revolução industrial:

O que é esse conceito?

Indústria 4.0 é o nome dado à quarta revolução industrial que está se iniciando no Brasil. Esse cenário já é realidade em alguns países, porém ainda está apenas começando no território brasileiro.

Desse modo, a indústria 4.0 se baseia em um conjunto de inovações promovidas por inovações no setor da automação, a possibilidade de se conectar praticamente tudo por meio da internet.

Esse sistema consiste principalmente no fato de as máquinas comunicarem

entre si e desse modo não há quase nenhuma interferência humana no processo.

Assim, até mesmo decisões importantes podem ser tomadas pelas máquinas. Portanto, o objetivo desse sistema é minimizar as ações humanas no processo e desse modo reduzir as chances de falha.

Em suma, a indústria 4.0 consiste em automatizar ao máximo o processo de produção com o objetivo de otimizar e acelerar ao máximo o processo de produção.

Quais são os pilares da indústria 4.0?

Essa nova revolução industrial tem como objetivo automatizar ao máximo a linha de produção. Além disso, a indústria 4.0 usa como base novas tecnologias que “unem” o mundo físico ao digital.

Para isso, ela conta com alguns pilares responsáveis por tornar isso possível, que são:

Internet das coisas

Conhecida também como IoT (Internet of  Things), é o que torna possível a comunicação entre as máquinas por meio de programas ou dispositivos responsáveis por enviar sinais.

Assim como atualmente existem carros que possuem conexão com satélites que mostram a exata posição em que ele está, a IoT da indústria é responsável por manter a comunicação entre os equipamentos.

Isso torna possível a existência de uma planta online que consegue mostrar em tempo real qualquer problema que aconteça.

Big Data

É uma maneira de trabalhar com um maior número de dados variados e complexos que são enviados em grandes volumes e cada vez mais rápido.

O volume desses dados é tão alto que o programa convencional responsável por processar os dados não dá conta de analisá-los.

Portanto, o Big Data é uma maneira de decifrar essa grande quantidade de dados de maneira rápida e eficiente, o que não seria possível se fosse efetuado manualmente.

Simuladores

A presença deles torna possível simular todo o processo de fabricação de modo que seja possível visualizá-lo detalhadamente.

Desse modo, a empresa consegue analisar a eficiência da linha de produção reproduzindo-a virtualmente, de modo que se assemelhe ao máximo à realidade.

Isso garante a possibilidade de realizar testes sem desperdiçar matéria prima e tempo de trabalho dos empregados, além de oferecer a possibilidade de reduzir custos da linha de produção.

Armazenamento em nuvem

Apesar de já ser uma realidade em nossas casas, o armazenamento em nuvem é a capacidade de armazenar dados online, de modo que qualquer pessoa com acesso à nuvem em específico consiga acessá-los.

Isso oferece a possibilidade de todos que precisem acessar algum arquivo consigam fazê-lo de qualquer lugar.

Portanto, ele oferece a capacidade de acessar dados por meio de dispositivos móveis, o que garante maior flexibilidade na realização de tarefas.

Dessa maneira, a nuvem torna possível acessar arquivos onde for necessário de maneira rápida e simples.

Cyber security

Para que a indústria 4.0 funcione, é necessário manter uma grande quantidade de arquivos e informações em bancos de dados online, ou seja, em nuvem.

Portanto, é fundamental que se tenha uma boa segurança protegendo esses dados para evitar vazamento e/ou ataques que possam vir a prejudicar a empresa.

Impressão 3D

A impressora 3D já é usada por algumas pessoas e lojas para a confecção de pequenos objetos, porém seu uso na indústria possui funções específicas.

Desse modo seu uso é feito para que protótipos e peças complexas possam ser fabricadas de maneira mais rápida e com o custo reduzido.

Ela evita o desperdício de tempo na confecção de peças e o desperdício de matéria prima que acontece devido aos possíveis erros na fabricação.

Inteligência artificial

Para que a quarta revolução industrial aconteça, um dos pontos principais é a existência de máquinas e robôs que são capazes de executar mais que simples códigos.

Portanto, isso garante que a linha de produção possa continuar mesmo sem a supervisão de algum funcionário. Desse modo, é possível reduzir custos e aumentar a produção.

Além disso, ela também oferece a possibilidade das máquinas alterarem seu comportamento baseado em análises de eventos e dados de sensores.

Integração de sistemas

Toda essa inovação só é possível a partir da integração dos sistemas, que consiste em interligar toda a cadeia de produção, de modo que facilite a comunicação, análise e tomada de decisões.

Virtual Reality

O VR, realidade virtual ou realidade aumentada oferece a possibilidade de analisar máquinas e processos de produção de maneira mais rápida e fácil.

Além disso, ela pode ser utilizada para outras funções como controle de estoque, manutenção e também para treinamentos.

Objetivo da indústria 4.0

A quarta revolução industrial tem como objetivo automatizar o máximo possível o processo para reduzir os custos e aumentar a produção.

Porém, esse processo exige que as empresas se adaptem à nova maneira de trabalhar, assim como seus funcionários.

Mas toda essa adaptação traz bons resultados, visto que é previsto um aumento de aproximadamente 20% da produção.

Além disso, é previsto que a indústria 4.0 reduza os custos de manutenção, reduza o consumo de energia e aumente a eficiência do trabalho.

Portanto, mesmo que sua chegada acabe excluindo algumas profissões do mercado, ela também trará novas junto com ela, como analistas de IoT, engenheiros de cibersegurança entre outras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.