Coala Notícias

Rússia x Ucrânia: entenda o que está acontecendo

Já faz alguns anos que existe uma tensão entre os dois países europeus, Rússia x Ucrânia, porém há algum tempo esse conflito se intensificou atraindo a atenção de todo o mundo.

Mas de onde surgiu a rixa entre esses dois países? Confira mais a respeito de onde surgiu e o que está acontecendo entre a Rússia e a Ucrânia:

Origem do conflito entre Rússia x Ucrânia

Para começar a falar sobre a origem desse conflito, devemos voltar alguns anos atrás na história. Durante o século XIX, a Rússia era uma das maiores potências europeias, apesar de estar um pouco atrasada em relação aos demais países.

Porém, durante esse período, várias nações passaram por revoluções industriais, enquanto a Rússia não buscou se atualizar.

Isso levou o país a ficar mais atrás ainda em relação ao desenvolvimento. Esse fato juntamente com a derrota em alguns conflitos levou a um grande descontentamento da população russa.

Dessa maneira, no início do século XX, iniciaram-se movimentos revolucionários no país, o que futuramente resultou na grande revolução russa de 1917, que levou à queda do czar e derrubou o sistema político feudal que se instalava na época.

Após isso, houve um certo período de instabilidade no território russo, e em 1922, a Rússia juntou-se com outras nações, inclusive a Ucrânia, e formaram a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

Essa união perdurou até 1991, onde houve o desmembramento da União Soviética em vários países.

Após sua dissolução, as outras nações foram reconhecidas através de diversos tratados, incluindo o memorando de Budapeste, assinado em 1944.

Mesmo com sua independência, a Ucrânia ainda era muito dependente da Rússia. Desse modo, visando sua independência, Kiev procurou se aproximar da OTAN e da UE, que teve início com a revolução laranja.

Esse movimento resultou na eleição de um candidato que apoiava a relação com o ocidente e era favorável à entrada ucraniana na União Europeia.

Porém, em 2013, com a entrada do presidente Viktor Yanukovych, que era a favor da Rússia, a negociação desses acordos foi cancelada.

Essa decisão levou a insatisfação da população e sua queda do poder, também resultou na anexação da península da Crimeia à Rússia.

Questão da Crimeia

A Crimeia é uma península europeia que fica localizada no sul da Ucrânia e sudoeste da Rússia. Sendo assim, ela possui uma ótima localização geográfica, além de possuir uma grande importância cultural.

O conflito dessa região começou em 2014 após a queda do presidente da Ucrânia. Assim que houve um desequilíbrio no poder, a Crimeia foi assumida por um partido a favor da Rússia.

Isso resultou em uma votação dos habitantes da península a respeito de sua integração ao território russo. O resultado foi a aprovação de sua anexação à Rússia com mais de 90% de votos a favor.

Porém, tanto a Ucrânia quanto a ONU não reconhecem essa anexação, sendo assim, legalmente a Crimeia ainda pertence à Ucrânia.

Dessa maneira, o conflito entre esses dois países se baseia no fato de a Rússia alegar que a Crimeia sempre fez parte do território russo no coração da população, enquanto a Ucrânia alega que a península pertence ao seu território.

Essa conquista russa, causou uma instabilidade no seu relacionamento com os países ocidentais.

Desse modo, vários países da UE juntamente com os EUA auxiliaram a Ucrânia como forma de demonstrar sua oposição à anexação.

OTAN

Um dos maiores pontos defendidos pela Rússia é o fato de não desejar que a OTAN esteja presente em um local tão próximo de suas fronteiras.

A afiliação da Ucrânia à OTAN resultaria no avanço do acordo até suas fronteiras, o que segundo o presidente russo, Vladimir Putin, representa uma ameaça à nação.

Enquanto isso, a OTAN defende que qualquer nação é livre para aderir ao acordo se assim desejar.

O conflito

O descontentamento já existente da Ucrânia, parte da UE e dos EUA à anexação não reconhecida da Crimeia ao território russo é apenas um dos motivos da tensão.

Porém, a base do conflito se baseia na oposição russa à entrada do país vizinho à OTAN. Essa oposição dos russos é tão forte que fez a Rússia ameaçar invadir o território vizinho para impedir sua entrada no acordo.

Isso aumentou o descontentamento dos países ocidentais, dos quais muitos defendem a liberdade ucraniana.

Com isso, a Rússia enviou mais de 100 mil soldados para a fronteira para intimidar o país vizinho a não aderir ao acordo.

O tratado da OTAN garante que caso um dos países que fazem parte do acordo seja atacado, será equivalente a atacar todos os participantes.

Porém, devido ao fato de a Ucrânia ainda não fazer parte desse acordo, não há muito que os países participantes possam fazer.

Apesar disso, em resposta ao posicionamento dos soldados russos, a OTAN enviou forças para auxiliar a Ucrânia, dessa maneira demonstrando seu apoio à entrada do país no acordo e oposição à atitude russa.

Esse conflito ainda continua em andamento, desse modo ainda não é possível ter certeza de como será o desfecho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.